segunda-feira, Fevereiro 28, 2005

Participação Política dos Jovens

“Tem de ser os jovens a cativar outros jovens, eles expressam o ponto de vista que se pretende e revertem-no na sua linguagem” Ray Zeller

A vida política é um processo que está em constante formação e deve ser tema de debate. A política precisa do entusiasmo e da ambição dos jovens para os valores em que se deve basear.
A participação política é a acção voluntária tendo como objectivo exercer influência sobre o processo de decisão política.
Podemos assim desde logo identificar formas convencionais de participação política e formas não convencionais.

Formas Convencionais de Participação Política:
- Votar
- Trabalho Partidário Regular
- Campanhas eleitorais
- Trabalho de informação política (publicar, escrever informação política)
- Ser membro de organizações que tem como objectivo influenciar o poder político (organizações de comércio, organizações agrícolas, organizações juvenis/mulheres/idosos etc etc...)



Formas não Convencionais de Participação Política :
- Participação em Greves,
- Bloqueios eleitorais
- Consumismo Político (Adquirir ou deixar de adquirir determinado produto por razões políticas (ex: bolas da Nike no Mundial).
- Comportamento Violento (participar em greves ilegais)

Não podemos dizer efectivamente que os jovens de hoje não participam na política de todo, a participação política não se resume simplesmente ao acto de votar ou então de militância ou de participação em campanhas.
Se a participação política inclui toda a participação em movimentos, associações que de certo modo contribuem para influenciar a decisão política, então os jovens não estão desligados completamente, porque hoje em dia, cada vez mais são os jovens que integram esses movimentos.
Esses jovens cultivam a ideia que a sua participação deve contribuir para reforçar a justiça social e que seja expansiva o mais possível.


Variáveis que podem servir para explicar a participação política ou não participação dos jovens:

1. Filiação ou simpatia dos pais por determinado partido.
2. Interesse político ( discussões políticas, consumo político pelos media).
3. Educação política (Democracia na escola, universidade, no trabalho).
4. Actividade Social (contribuir em acções sociais, ajudar os outros).
5. Valores políticos, atitudes.
6. Saber o que se passa na política, conhecimento de formas de participação política.
7. Posição Ideológica própria.
8. Crença Religiosa
9. Variáveis Sócio- Demográficas.
10. Recessão Económica.
11. Escolha ideológica distanciada.
12. Bipolarização Partidária( ganha um ou outro)


Os Partidos políticos e os governos do Séc. XXI Deparamo-se com a crescente dificuldade em mobilizar; Interpelar os jovens é ainda uma tarefa muito mais difícil. De muitos estudos que se tem feito demonstram apatia política e cívica dos jovens.
A causa da não participação política dos jovens poderá reflectir a ineficácia dos formas convencionais de participação política, no sentido de esquecer por vezes as preocupações e os problemas que os jovens enfrentam.

No entanto é importante a participação política dos jovens. Os idosos têm a maior percentagem de exercício do direito de voto, e subsequentemente são alvo de muitas promessas e medidas políticas. No sentido inverso os jovens são os que têm as percentagens mais baixas de votação.
Quando os jovens votam e incentivam outros jovens a votar, esse comportamento serve o interesse dos jovens. Se os jovens participam mais os políticos ficam com o feedback que este grupo é uma força política a ter em conta nas suas agendas políticas.
Se os jovens pretendem atenção e resposta aos seus anseios têm de certo modo ir ao encontro.



Práticas para a mobilização dos jovens para a participação política:

a) Novo estilo de campanhas eleitorais, evitando para tal o negativo ataque aos adversários políticos , mas privilegiando o debate claro de ideias.

b) Actividades políticas inovadoras- nas diferentes estruturas dos partidos políticos.


c) Envolver-se nas actividades juvenis- Ir ao encontro deles e passar uma mensagem positiva e mostrar interesse naquilo que fazem.

d) Envolver Jovens em todas as oportunidades- incluir os jovens em todas as actividades e funções políticas.


e) Dar tarefas aos jovens voluntários –distribuir tarefas, pois eles sentem-se úteis em desempenhá-las e assim têm mais motivação em continuar.

f) Utilizar as mais diversas tecnologias- Em países como os E.U.A Páginas Web, manifestos em dispositivos informáticos e Blogs têm contribuído para mobilizar jovens para o voto.

g) Colocar os Jovens a Interagirem- Os recenseamentos, a filiação e a mobilização dos jovens tem melhores resultados quando são desenvolvidos e promovidos dos jovens para os jovens.

h) Atribuir certificados/ gratificações- Os jovens gostam de ser reconhecidos pelo seu trabalho, estes gestos reforçam o seu envolvimento na política.


i) Apostar na Educação política- reforçar a educação política dos jovens no qual privilegie o conhecimento, a habilidade e os valores relevantes que emergem da natureza da democracia participada. Está comprovado em diversos estudos que a não participação política dos jovens deriva da sua ignorância política.


MEDIDAS PROFUNDAS PARA APELAR À PARTICIPAÇÂO:

1. Gratificação para votar – se o sistema não quiser utilizar a coerção para induzir os cidadãos a votar, porque não pagar para votar?

2. Benefícios Fiscais para quem vota.


3. Antecipação da Idade da Reforma para os cidadãos que tenham exercido o seu direito de voto.


4. Antecipação da Idade de Voto de 18 para 16- Devido ao facto de se verificar que os jovens são os mais abstencionistas, esta medida vinha incutir nos jovens no período pré-universitário para a participação política, bem como para a responsabilidade cívica que é exercer o direito do voto, criando hábitos.


5. Apostar fortemente no marketing político direccionado para os jovens- Adequar linguagem e apostar em medidas concretas para esta faixa etária, adoptando métodos e forma de apresentação aliciantes.






Os jovens encorajam os amigos para participar, e a sua juventude reflecte a participação nas organizações por muitos anos; estarão envolvidos e votarão por muito tempo, e esse é um trunfo para manter os partidos e a democracia viva e saudável.
25/02/2005

1 comentário:

Anónimo disse...

Tudo isso é bonito mas se os jovens não se interessam por política, e eu acredito nos jovens, é porque na maior parte dos casos o cheiro é insuportável.